domingo, 20 de dezembro de 2009

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Preconceito um ato de ignorância

O preconceito é um ato de ignorância que só será vencido com o conhecimento. Pertencemos a uma única raça, a humana, cada povo que migrou para o Brasil contribuiu para a formação da cultura brasileira. Para que a diversidade enriqueça a comunidade tornando-a múltipla, faz-se necessário conhecer os valores culturais, a importância de cada cultura, bem como a herança deixada por elas no contexto social. O patrimônio cultural não deve ser visto apenas como folclore, deve ser respeitado e transmitido para as próximas gerações como parte das raízes do povo brasileiro. Hábitos, costumes, mitos, crenças e valores que não são ensinados, correm o risco de se perderem. Logo o povo que não preserva suas raízes perde parte de sua identidade.
Convivem no Brasil pessoas de mais de um continente, conhecer as contribuições culturais e suas origens fortalecem os laços e ajudam a preservar valores que fazem parte da cultura desse povo. Pois a cultura brasileira só é rica e variada porque recebeu inúmeras influências, o Brasil tem a "cara" que tem, devido sua história. Respeitar as diferenças é fundamental para evitar preconceitos e discriminações.
A história embutiu subjetivamente a ideologia de que a “raça” branca foi, ou é superior, mensagem presente nas entrelinhas dos livros didáticos, ainda hoje existem professores acreditam haver cultura superior e que há alunos que são incapazes de prosseguir nos estudos, por incapacidade intelectual. A lei de Diretrizes e Bases da Educação prega a igualdade de condições para o acesso e permanência à escola, essa é uma maneira de responder à sociedade que cobra investimentos sociais, deixando claro que, perante a lei todos tem os mesmos direitos sejam esses pobres e, ou negros. Porém na realidade as condições de permanências são diferentes, uns trabalham durante o dia e são forçados pelas circunstancia a estudar à noite. Os jovens pobres e negros continuam lutando por melhores condições de vida de trabalho, por igualdade, assim como seus irmãos nas senzalas que lutaram pelo direito de serem livres.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Consciência Negra

Castro Alves
Tragédia no Lar

Na Senzala, úmida, estreita,
Brilha a chama da candeia,
No sapé se esgueira o vento.
E a luz da fogueira ateia.

Junto ao fogo, uma africana,
Sentada, o filho embalando,
Vai lentamente cantando
Uma tirana indolente,
Repassada de aflição.
E o menino ri contente...
Mas treme e grita gelado,
Se nas palhas do telhado
Ruge o vento do sertão.

Se o canto pára um momento,
Chora a criança imprudente ...
Mas continua a cantiga ...
E ri sem ver o tormento
Daquele amargo cantar.
Ai! triste, que enxugas rindo
Os prantos que vão caindo
Do fundo, materno olhar,
E nas mãozinhas brilhantes
Agitas como diamantes
Os prantos do seu pensar ...

E voz como um soluço lacerante Continua a cantar:

"Eu sou como a garça triste
"Que mora à beira do rio,
"As orvalhadas da noite
"Me fazem tremer de frio.

"Me fazem tremer de frio
"Como os juncos da lagoa;
"Feliz da araponga errante
"Que é livre, que livre voa.

"Que é livre, que livre voa
"Para as bandas do seu ninho,
"E nas braúnas à tarde
"Canta longe do caminho.

"Canta longe do caminho.
"Por onde o vaqueiro trilha,
"Se quer descansar as asas
"Tem a palmeira, a baunilha.

"Tem a palmeira, a baunilha,
"Tem o brejo, a lavadeira,
"Tem as campinas, as flores,
"Tem a relva, a trepadeira,

"Tem a relva, a trepadeira,
"Todas têm os seus amores,
"Eu não tenho mãe nem filhos,
"Nem irmão, nem lar, nem flores".

sábado, 17 de outubro de 2009

Mídias Digitais na Educação

Encontrei este vídeo no Portal do Professor. Nele o professor José Manuel Moran fala das possibilidades de Uso das Mídias Digitais na Educação. Você que está interessado em saber mais sobre o assunto não pode perder, assista-o.



video

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Homenagem Ao professor



AO MESTRE, COM CARINHO!

Mestre,
É aquele que caminha com o tempo,
propondo paz, fazendo comunhão,
despertando sabedoria.

Mestre é aquele que estende a mão,
inicia o diálogo e encaminha
para a aventura da vida.

Não é o que ensina fórmulas, regras,
raciocínios, mas o que questiona
e desperta para a realidade.

Não é aquele que dá de seu saber,
mas aquele que faz germinar
o saber do discípulo.

Mestre é você, meu professor amigo
que me compreende, me estimula,
me comunica e me enriquece com
sua presença, seu saber e sua ternura.

Eu serei sempre um seu discípulo
na escola da vida.

Obrigado, professor!
(N.Maccari)

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Saltos no tempo

Programa de formação continuada em Tecnologias na Educação.

video

domingo, 13 de setembro de 2009

O mundo Wiki

O termo wiki é utilizado para identificar um tipo específico de coleção de documentos em hipertexto ou para identificar o software colaborativo usado na criação desses, pois permite a edição coletiva dos documentos usando um sistema que não necessita de revisar o conteúdo antes de sua publicação.

O Wiki Web permite que os documentos sejam editados coletivamente. Essa tecnologia facilita a criação e alteração de páginas pelos próprios usuários, portanto se você estiver navegando por uma página wiki e encontrar dados defasados ou tiver certeza de que aquilo que está publicado não é correto pode corrigir, ou editar um novo texto. Os problemas que se podem encontrar em wikis são artigos feitos por pessoas que nem sempre são especialistas no assunto, ou até vandalismo, substituindo o conteúdo do artigo. Porém, o intuito é, justamente, que a página acabe por ser editada por alguém com mais conhecimentos.
O exemplo mais conhecido de wiki é a enciclopédia Wikipédia editada em vários idiomas e muito difundida na web, está sempre entre as dez primeiras páginas buscadas pelo Google, portanto muito utilizada nas pesquisas dos alunos. O fato de esta ser uma construção coletiva não a desqualifica apenas exige atenção do professor na correção dos trabalhos.

O uso dos sistemas wikis na educação ainda é restrito. Para se obter sucesso é preciso muitas vezes, mudar a mentalidade do uso das tecnologias na educação, essa não seria apenas uma fonte de informação, mas um ambiente onde professores e alunos poderiam editar suas produções, ou seja construirem juntos páginas wikis.

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Conhecimento em rede

A internet surgiu há muito pouco tempo e é hoje uma fonte de informação poderosíssima. Dentre seus feitos está a capacidade de criar no ser humano o desejo de compartilhar informações, cooperar em trabalhos e pesquisas proporcionando a construção e distribuição de conhecimentos. As pesquisas que antes eram feitas em laboratórios fechados às escondidas, informações passadas apenas a súditos, estão disponibilizadas na rede despertando curiosidades e interesses de outros pesquisadores que passam a trabalhar de forma colaborativa acelerando descobertas.

Projetos cooperativos possibilitaram avanços na ciência em busca de melhores condições de vida aos seres humanos, um exemplo é o projeto Genoma Humano pelo qual se fez o seqüenciamento do conjunto de moléculas de DNA. Uma ação conjunta de cientistas de vários países entre eles França, Alemanha, Estados Unidos que a distancia na rede compartilharam informações e descobertas, dessa ação conjunta resultou o mapeamento do genoma humano. Outros projetos são realizados a distancia e em conjunto, como: pesquisas com células troncos, com física quântica ou em nanotecnologias que prometem melhorias significativas na indústria e sociedade.

Percebe-se que o avanço tecnológico quebrou o monopólio da informação e do conhecimento deixando esse acessível a todos os interessados. A educação que era tida como detentora vê-se obrigada e descobrir novas formas de interação entre professor - aluno - conhecimento. Poderia listar inúmeros projetos de disponibilização e construção do conhecimento em rede, entre eles está o ambiente do MEC eproinfo criado com a finalidade de subsidiar a troca de informação e a produção colaborativa do conhecimento por professores e alunos participantes de um curso à distância. Esse possibilita a troca de informações através de fórum, lista de discussão, correio eletrônico, mural, portfólio, e o chat que permite comunicação síncrona de forma interativa e dinâmica. O conhecimento das diferentes formas de interação disponibilizadas na rede tornou-se uma necessidade. Maria Carolina Santos de Souza coloque que “No momento em que a linguagem é compreendida a utilização da tecnologia favorece a realização de experiências criativas e inovadoras.”

A educação mediada por computadores ultrapassa os limites geográficos, respeita a velocidade em que a informação navega em diferentes mídias eletrônicas, amplia o espaço da sala de aula, possibilita a construção de ambientes virtuais para interação entre professores - alunos e execução de trabalhos colaborativos em rede. É bom que se diga que a comunicação e interação em rede não é a salvação para a educação, pois velhas práticas em ambiente novo não é significado de mudança, nem de melhorias. No texto Pingos nos is Cavalcanti e Nepomuceno dizem que “estar na rede não nos faz, necessariamente, gerar inovação ou conhecimento. Colocar um usuário diante de um computador conectado não o deixará mais integrado ao mundo moderno – como, aliás, temos visto em diversos projetos de Inclusão Digital no Brasil e no mundo.” A realidade social exige um novo paradigma no fazer pedagógico.

domingo, 16 de agosto de 2009

Da informação ao conhecimento.


Ouvimos muito a frase. “Vivemos na era do conhecimento”. Ainda assim nunca se falou tanto em melhorias para a educação, formação continuada, necessidade de elevar o IDEB, aumentou-se o tempo destinado a aprendizagem, estuda-se tanto e parece que hoje se sabe ou aprende-se menos que no passado. Antes as exigências sociais não eram tão amplas, poucos saberes a algumas pessoas eram suficientes. Hoje as pessoas precisam aprender tantas coisas ao mesmo tempo, que podemos dizer que essa é a sociedade da aprendizagem “Vivemos em uma sociedade da aprendizagem, na qual aprender constitui uma exigência social crescente que conduz a um paradoxo: cada vez se aprende mais e cada vez se fracassa mais na tentativa de aprender.” (POZO)
Ao desejar a sociedade do conhecimento cumpre-nos mudar as formas de ensinar, aprender e tratar as informações que chegam de muitas formas e por muitos meios. Muita informação não é significado de muito conhecimento, hoje esse não é algo pronto e acabado. Portanto há muitas incertezas que nos desafiam a aprender conviver com muitas possibilidades e com a transitoriedade do conhecimento, o que é verdade hoje amanhã pode deixar de ser. Isso posto é preciso aprender organizar, interpretar e utilizar, as informações que se apresentam de forma caótica pelas diferentes mídias e construir a partir delas o próprio conhecimento. Leia o texto de POZO

quinta-feira, 30 de julho de 2009

formação continuada


De acordo com teorias sócio - interacionistas o conhecimento é construído na interação sujeito objeto, um processo lento, gradativo que acontece com e ao longo da vida, nas palavras de Moran “O desafio mais interessante da nossa vida é transformá-la em um processo contínuo de aprendizagem, de evolução e de realização.” sendo assim diremos que a formação é contínua. Ser cidadão de seu tempo é estar incluso na sociedade competitiva, desigual e em constantes transformações que hora se apresenta, para tanto aprender é um desafio constante, nesta que é tida como a era da informação e do conhecimento.
Os avanços tecnológicos ocorridos nas ultimas décadas causam transformações sociais, econômicas e políticas, mudou as formas de comunicação e interação entre pessoas, encurtaram-se as distancias, os acontecimentos são transmitidos simultaneamente para todo o mundo. Para atender as necessidades desta nova realidade social a educação vem se apropriando das TICs Tecnologias da Informação e Comunicação no fazer pedagógico, essas são usadas para reunir, distribuir e compartilhar informações, o rádio, a televisão, o vídeo, o computador e a internet são acrescentados ao material impresso e passam a fazer parte da rotina escolar. Para que essas sejam usados de forma adequada contribuindo para a construção do conhecimento pelo aluno, foram abertos cursos de formação continuada em mídias e tecnologias, para capacitar professores no uso do computador, da internet, da TV e vídeo, do material impresso e linguagem radiofônica. Nessa nova realidade da educação o professor deixa de ser o detentor da informação, já que esta é captada por meios de comunicação, e passa a ser mediador, orientador do aluno na busca, organização e classificação, pois hoje há muita informação, mas isso não significa necessariamente saber mais, essas precisam ser transformadas em conhecimento, ou seja, em maneiras de solucionar os problemas do dia a dia. Esse é o desafio do professor hoje que precisa ser um pesquisador junto com os alunos um articulador de aprendizagens significativas. Para tanto ele precisa conhecer as potencialidades das tecnologias e saber como aplicá-las, para Valente é irreal esperar ser um especialista em mídias para depois tirar proveito delas na prática pedagógica, segundo ele o ideal é que o conhecimento técnico e pedagógico aconteça de forma simultânea, essa também é a proposta dos cursos da SEED em mídias e tecnologias. O computador foi introduzido na escola numa abordagem construcionista, ou seja, como recurso pedagógico para ser usado por professores e alunos que adquirem o conhecimento técnico enquanto aprendem os conteúdos programáticos.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Meu primeiro selinho


Este selinho ganei do blog http://ensinarexigealegria1.blogspot.com/ vejam este endereço é um blog criativo, alegre, com sugestões interessantes. Você não vai se arrepender de passar por lá. aproveite.

domingo, 21 de junho de 2009

O uso de tecnologias na Educação


Hoje parece impossível pensar em nossa vida sem as tecnologias. Dentro de um contexto histórico pode-se dizer que desde o neolítico o homem vem inventado recursos para suprir as necessidades do dia – a – dia, portanto a tecnologia é uma expressão da criatividade humana. Nas ultimas décadas os avanços na área de comunicação deram um salto geométrico, surgindo muitos recursos para a comunicação e interação entre pessoas. Quando pensamos no uso destes, ou mais precisamente de computadores e internet na educação devemos fazê-lo de forma crítica, refletindo sobre as necessidades de uso desses em atividades pessoais e profissionais oportunizando aos alunos um aprendizado técnico através da utilização do computador em conteúdos programáticos, ou seja, na interação com a máquina enquanto faz e registra pesquisas, produz e digita textos, faz levantamento de dados, organiza planilhas e gráficos, participa de fóruns e comunica-se com pessoas on-line, aprende controlar e dominar a tecnologia, sabendo que esta obedece aos comandos humanos, servindo as pessoas em diferentes interesses. Ao se referir à postura que devemos ter perante o uso de tecnologias Paulo Freire Disse “O que me parece fundamental para nós, hoje, mecânicos ou físicos, pedagogos ou pedreiros, marceneiros ou biólogos é a assunção de uma posição crítica, vigilante, indagadora, em face da tecnologia. Nem, de um lado, demonologizá-la, nem, de outro, divinizá-la”. (FREIRE, 1992, p. 133). Como mediador na construção do conhecimento pelo aluno, a ação e postura do professor é essencial, pois cabe a ele orientar na busca e seleção das informações fazendo questionamentos que despertem o interesse ao saber evitando atitudes mecânicas como: ctrl c, ctrl v e ctrl p.

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Comunicação e Interação na Internet


Hoje são muitos os recursos na Internet que possibilitam a troca de informações, interação entre pessoas e construção de conhecimentos. Ações que podem ser feitas através de fórum e lista de discussão, do correio eletrônico, do blog, de salas de bate-papo e de sites de relacionamentos, recursos que podem ser classificados de acordo com sua funcionabilidade. Para a troca de informações com idéias mais elaboradas, onde haja necessidade de reflexão e pesquisa são indicados o fórum, a lista de discussão, o e-mail e o blog, pois não exigem respostas imediatas. Para assuntos que requer troca rápida de informação são uteis as salas de bate – papo e o MSN, porém a comunicação através desses recursos só é possível se os interlocutores estiverem on-line. As construções coletivas podem ser feitas através de e-mail e do google documents para quem possui e-mail no google, esse muito eficiente já que a construção é on-line e pode ser acompanhada em qualquer parte do mundo, sem necessidade de reencaminhar a mensagem. Em geral quem sabe usar os recursos de comunicação via internet tem sempre uma opção, pois quando uma forma não é adequada a interação necessária no momento, há outra que oferece o suporte necessário. A conecção é a porta de entrada para a inclusão na sociedade digital, aprender usar os recursos é fazer parte dela.

terça-feira, 12 de maio de 2009

Acessibilidade à web

video
Este vídeo está no site http://www.acessibilidade.net/web/ Acessibilidade nos traz a mente pessoas que andam em cadeiras de rodas, e, portanto necessitam de rampas, de ruas e calçadas uniformes. Acessibilidade quer dizer ter acesso, ou seja, sem barreiras, para tanto é necessário criar ambientes onde todos possam sentir-se bem, seguro e com autonomia. Isso vale para locais físicos e on-line, possibilitar o acesso à internet a todos é fazer sites onde os portadores de necessidades especiais possam ter acesso as informações não fazendo distinção quanto às limitações sejam essas visuais, auditivas, cognitivas ou físicas, já existem alguns ambientes planejados para atender todas as necessidades, porém para que um número maior de pessoas tenha acesso é fundamental que todos os ambientes sejam acessíveis, ou que ofereçam uma opção de acessibilidade.

domingo, 26 de abril de 2009

A profissionalização do professor


O que faz este profissional, que depois de estudar três, quatro anos ainda necessita de uma formação continuada? Ao se formar o professor precisa ter desenvolvido duas competências uma, aprender sobre uma determinada disciplina, ou seja, a do curso que escolheu e outra muito mais complexa a de ser educador, essa por sua complexidade não tem manuais, metodologias, dentre as habilidades que compõem esta competência está a de saber, ter domínio do conteúdo que pretende trabalhar, saber dosar a quantidade necessária ao tempo da aula, saber prender a atenção e despertar o interesse dos alunos, saber controlar o tom da voz para que todos ouçam sem que atrapalhe o profissional que está na sala ao lado, saber perceber os sinais de incompreensão dos educandos, saber tomar decisões de improviso em situações imprevistas. O trabalho deste profissional não esta relacionado apenas a coisas, matéria envolve o ser humano com toda sua complexidade, dividido entre razão e emoção, um ser que cresce, evolui, daí há necessidade de estar continuamente aprendendo. Saiba mais.

domingo, 19 de abril de 2009

Educãção


A palavra Educação geralmente nos remete à escola, porém educação é o processo de aprender continuamente, de crescer, evoluir, é a arte de conhecer-se, de fazer escolhas conscientes, de viver a vida com autonomia, de realizar-se. A educação é eficaz ao longo da vida quando nos ajuda a enfrentar nossas limitações, reconhecer nossos fracassos, superar as frustrações e nos fortalece na busca de caminhos de realização. Aprendemos observando o mundo que nos rodeia, com as experiências dos outros, quando nos predispomos a crescer, evoluir, quando não estamos preocupados unicamente com o ter, mas queremos ser pessoas mais humanas, sensíveis, afetivas e realizadas. Com o passar dos anos aprendemos a nos conhecer, e então vemos com clareza o que aprendemos e no que nos tornamos nossos pontos fracos e fortes. Nas palavras de Moran “Ao chegar a maturidade, então, ... Pode ser uma etapa muito rica – com os compromissos sociais, profissionais e familiares mais consolidados - se enfrentamos nosso eu mais profundo, repensamos algumas decisões, buscamos novos desafios, sermos pessoas mais livres e realizadas, mesmo num contexto de um progressivo declínio físico". Leia o texto na íntegra.

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Aprender ao longo da vida


Em aprendizagem continuada ao longo da vida a exemplo da terceira idade, Valente discute os sentidos de ensinar e aprender. Estar produtivamente ativo exige constante aprimoramento como forma de manter-se no mercado de trabalho e para atender os novos desafios da profissão surge à formação continuada. Porém a idéia do autor é discutir a aprendizagem contínua ao logo e para a vida. O texto fala da predisposição que as crianças têm para aprender. (Desde que nascem vêem o mundo com uma série de desafios a serem superados, com isso criam-se oportunidades para a construção do conhecimento). Como essa predisposição desaparece no período escolar e reaparece quando surge a necessidade de tornar-se um profissional competente e na terceira idade. Para explicar como a aprendizagem acontece Valente faz um levantamento das teorias sociointeracionistas ressaltando a necessidade de ambientes de aprendizagem adequados as exigências da realidade social. Nas palavras do autor. “Aprendemos e ensinamos porque temos que resolver problemas e interagir com pessoas e objetos de nosso dia – a – dia. Além disso, essa experiência de aprender e ensinar é prazerosa e não nos damos conta de que estamos aprendendo ou ensinando.” Leia o texto na integra.

sábado, 4 de abril de 2009

Unidade de estudo sobre a internet.


A internet é um conglomerado de redes em escala mundial de milhões de computadores interligados que permite o acesso a informações e todo tipo de transferência de dados, sejam textos, imagens ou multimídia. Para fazer parte da sociedade tecnológica ou do conhecimento é necessário estar sempre aprendendo, estar conectado, ter autonomia na busca e seleção de informações, na transformação dessas em conhecimentos úteis para a vida, nessa que também é uma sociedade competitiva e desigual.
A internet oferece inúmeros serviços. São milhões de páginas publicadas sobre os mais variados temas, organizados em websites. O MEC tem vários espaços onde disponibiliza informações sobre as TICs em programas de formação continuada, entre outros o Mídias na Educação. As possibilidades de estar informado são muitas, através dos jornais on-line, esse serviço oferece um jornalismo diferente onde cada leitor recebe apenas as notícias de seu interesse. Tantas facilidades fez com que alguns acreditassem na falência dos jornais impressos, isso não aconteceu, sentar-se em um banco para ler o jornal, tem algo mais do que manter-se informado.
Uma característica do texto em formato digital é o hipertexto uma forma não linear de apresentar as informações textuais. Conceitos do texto são destacados através de links, com a função de interconectar os diversos conjuntos de informação. Depois de buscar e selecionar as informações o aluno deve ter habilidade para representar e organizar o conhecimento através do mapa conceitual.
Para criar um documento hipertexto o professor deve ler vários textos que possam complementar o assunto, bem como servir de links em seu documento. O professor José Manuel Moran tem um site com vários textos sobre Educação humanista inovadora, que nos leva a refletir sobre o humano diante do tecnológico.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

sábado, 21 de março de 2009

Mais uma turma inicia o curso


Uma nova turma iniciou hoje na Escola P. A. R. o curdo Introdução a Educação Digital. Este curso, promovido pela Seed/MEC - tem como principal objetivo a formação de professores e gestores da educação básica, visando à inclusão digital e social. O computador está presente na vida de muitos brasileiros e também em muitas escolas, daí a necessidade de os professores estarem preparados para fazer uso de mais este recurso didático visando contribuir na construção do conhecimento pelo aluno.